Páginas

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Faltam leitos em hospitais para atender a população da região


“Sofremos também com a falta de vagas nos hospitais, inclusive nos CTIs (Centros de Tratamento Intensivo). Como as famílias, a gente chora, se desespera para conseguir uma vaga”. O desabafo é do médico João Reus, diretor da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de São João del-Rei. 

A UPA é pré-hospitalar fixo, enquanto o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) é pré-hospitalar móvel. O médico explica que “a UPA não é hospital, não tem equipamentos médicos sofisticados. É somente para atender casos de urgência e emergência. Não é a UPA que escolhe o hospital para que o paciente seja internado. Existe uma Central de Regularização, em Barbacena, que determina o local da internação”. 

Custos

A UPA, no bairro Caieiras, atende a uma média diária de 150 pacientes, cerca de 3 mil pessoas por mês, diariamente, inclusive nos fins de semana e feriados. Tem um quadro de 120 funcionários, sendo 27 médicos, 10 enfermeiros e 28 técnicos de enfermagem. Seu custo é de R$ 900 mil reais por mês. O governo federal ajuda com R$ 300 mil e o restante é bancado pela prefeitura. A contribuição do governo de Minas, de R$ 75 mil, está atrasada há oito meses.

A enfermeira-chefe Eliene Andrade alerta que 60% da demanda são oriundos de casos ‘verdes’, ou seja, doenças consideradas leves que podem ser atendidas pelos postos de saúde. “Isso sobrecarrega a UPA que prioriza os casos ‘amarelos’ e ‘vermelhos’, de maior gravidade”.

Há pessoas que ficam internadas durante vários dias. Um dos casos mais graves é de uma paciente que está desde o dia 26 de agosto, à espera de vaga em hospital, com problemas no pulmão. Para ajudar a desafogar o setor de internação, a prefeitura liberou, este ano, R$ 720 mil para a Santa Casa e o Hospital Nossa Senhora das Mercês, que estão sendo pagos, mensalmente, em parcelas de R$ 30 mil para cada estabelecimento.

Conforme estimativa de 2017 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), São João del-Rei tem 89 mil habitantes, superior aos 84 mil do censo de 2010. É polo da região mineira dos Campos das Vertentes que alcança 228 mil pessoas em 12 municípios. Pessoas com baixa renda (inferior a meio salário mínimo) é de 25,10 por cento da população, público atendido pelo SUS (Sistema Único de Saúde).